domingo, 24 de Outubro de 2010

quando eu me sentia muito angustiada, ia para uma espécie de céu onde eu me sentia segura. exatamente quando era tomada por esse sentimento de certeza, era remetida para uma outra fase da minha vida, onde eu revivia alguma situação. era como se fosse uma oportunidade pra recompensar alguém, pra fazer diferente, pra não esquecer algum detalhe, pra não perder de novo alguma coisa. quando de alguma forma eu deixava de "cumprir" por inteiro qualquer um dos itens acima, como punição voltava para a vida em tempo real, como se fosse castigo. e seguia o ciclo, sentia medo, aflição e para outro plano eu ia...
desejei que viesse comigo, aliás, não que viesse comigo, mas que tivesse a oportunidade de também ter um porto seguro, um lugar onde pudesse parar e sentir certeza do que quisesse, onde tivesse uma chance de não sentir mais dor ou qualquer tipo de tristeza. e assim se fez. consegui trazer comigo, consegui encontrar no plano dos bons sentimentos e cada vez eu me sentia melhor e cada vez eu entendia menos

sono antes do tempo

quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

tu tem a arte de me contradizer sempre, de desmontar toda imagem que o tempo e que o pouco (que eu achava muito) da vida me fizeram ter de ti. por essa cara que tu tem, de quem não tá nem aí, e eu descobrir que em algumas coisas tu consegue ser mais fresco do que eu. por me trazer pra perto com um 'vem pra mim' quando eu sento mais longe no banco. por perceber que eu quase não comi durante o dia e tentar me empurrar alguma coisa pra que eu fique bem quando percebe que não vai ter jeito. pelas tuas olhadas de canto de olho quando abro meus emails... e pelas vezes que eu te pego fazendo isso e tu rebate com um 'vou olhar!', com a maior cara lavada, como se não tivesse fazendo isso o tempo todo. por dizer que se eu vou, tu só vai na hora que eu for. por me fazer sentir bem quando eu não vejo saída e assumir que também não vê, mas já que é isso, podemos aproveitar o tempo e beber uma cerveja enquanto a solução não vem. pelos teus abraços que me transmitem uma segurança que jamais pensei que fosse sentir contigo. pelos nossos sorrisos que se acompanham até mesmo sem saber o motivo. por hoje tu conseguir se abrir mais comigo, falar dos teus planos, do que te deixa feliz, dos teus medos, das situações que assume que acha que vai chorar...
por tudo isso e mais um pouco. todos os dias eu sinto medo de continuar e todos os dias tu me dá uma razão (e pode nem se dar conta disso) pra que eu prossiga e me mostra que vale a pena ver aonde vai dar, mesmo que a gente não saiba direito aonde quer chegar.

sexta-feira, 8 de Outubro de 2010

eu não seipreciso, sei lá
precisa, vai entender

terça-feira, 3 de Agosto de 2010

domingo, 1 de Agosto de 2010

ele questionou minhas respostas monossilábicas. eu respondi que falava pouco pra não falar demais. talvez fosse medo que me perguntasse algo que eu não soubesse responder. ou pior. que soubesse e de repente desvendasse esse grande ponto de interrogação que surge na minha cabeça toda vez que o vejo. sei que sinto. mas não sei direito o que é e tampouco o que fazer com isso. então simplesmente não falo. de verdade, eu assumo. não sei lidar. ele sabe disso. eu sei disso. qual é a mentira que eu deveria inventar?